22 de jan de 2010






Reunião da Executiva da UEE-SP



A primeira reunião de 2010 da UEE-SP se deu na quinta-feira 15 de janeiro; os diretores da entidade reuniram-se para traçar metas para o ano que se inicia.
O debate foi intenso, pois o ano começou turbulento e cheio de novidades nada agradáveis para os estudantes.


O aumento abusivo de 17,4% da tarifa do transporte coletivo da maior cidade do país fez com que os diretores tomassem uma posição e saíssem em defesa da população, e principalmente dos estudantes; além de uma moção de repúdio, os diretores levarão ao conhecimento das autoridades políticas e tentarão reverter o quadro, já que o aumento aconteceu na calada da noite no mês mais difícil de mobilizar a juventude, pois normalmente no inicio do ano todas as universidades ainda estão em recesso e uma manifestação dificilmente teria um caráter organizado e de luta, mesmo com toda essa dificuldade a UEE-SP não ficará omissa a tal acontecimento. A entidade sempre se colocará ao lado da sociedade e irá cobrar de nossos representantes uma posição para esse aumento abusivo.


No desenrolar da reunião cada pasta deu sua contribuição para as ações de 2010; muitos assuntos foram abordados: Trote solidário; Coneg da UNE; CEE e a caravana do pré-sal, destes assuntos o que mais tomou tempo foi a caravana do pré-sal, pois sabemos  que o ano de 2009 foi um ano de marco histórico para o movimento estudantil de São Paulo, há aproximadamente 20 anos que uma PEC de caráter educacional não era levada a debate na Assembléia pelos estudantes, e hoje retomar esse debate é mostrar que a chama da juventude está acessa por uma educação de qualidade para o Estado e para o país.


A nova gestão da UEE-SP chega ao inicio de 2010 com muita esperança e certeza que irão desenvolver seu papel social, e fazer dos universitários de São Paulo agentes transformadores nas suas unidades de ensino superior.

19 de jan de 2010

IPEA lança livro "Juventude e Políticas Públicas no Brasil"


No dia 19 de janeiro o IPEA, Instituto de Pesquisas e Estudos Avançados, lançou o livro "Juventude e Políticas Públicas no Brasil", que analisa a situação dessa população em relação ao acesso a diversos direitos, como educação, saúde, cultura e segurança.








O Brasil possui hoje uma população de 50 milhões de jovens (entre 15 e 29 anos), o que representa 26% do total de 190 milhões de brasileiros. O estudo do Ipea aponta, poe exemplo, que 31% podem ser considerado pobres e apenas 13% têm acesso ao ensino superior na faixa etária dos 18 aos 24 anos.




















O livro pode está disponível para download e você pode baixá-lo clicando aqui

UNE e UBES no Planalto

Nesta segunda-feira, 18 de janeiro, os principais representantes do movimento estudantil tiveram a oportunidade de apresentar pessoalmente ao presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, a proposta que pleiteia 50% do Fundo do Pré-Sal para a Educação.




Augusto Chagas, presidente da UNE e Yann Evanovick, presidente da UBES defenderam que os recursos do Fundo Social do Pré-sal sejam investidos em educação e em projetos que aumentem o tempo de permanência dos brasileiros na escola – um montante que poderia chegar a R$ 2 bilhões.


“O salário dos nossos professores ainda é muito defasado e o Brasil tem apenas 13,9% de jovens, de 18 a 24 anos, com acesso à universidade. Isso tudo demonstra a necessidade de se aplicar melhor os recursos em educação, principalmente, em aumentar o aporte de recursos na área”, alertou Augusto Chagas. “A Educação tem ser prioridade”, concordou Yann Evanovick.


Chagas afirmou que, apesar das políticas educacionais nos últimos anos terem apresentado melhorias na qualidade do ensino do país, é preciso ampliar os investimentos no setor. Segundo ele, a média de permanência do brasileiro adulto na escola é de sete anos e que não chega a 30% o percentual de escolas públicas que têm uma quadra de esportes. Na pauta de reivindicações dos estudantes a aprovação do Projeto de Lei de reforma universitária da UNE, em tramitação na Cãmara.


Também presentes na audiência, o secretario geral da UNE, Antonio da Silva, e o vice-presidente da entidade Tiago Ventura. “Durante a audiência valorizamos a experiência da Conferência Nacional de Educação (Conae – de 28 de março a 1 de abril), como um espaço inédito na formulação da política educacional brasileira por meio do diálogo entre sociedade civil organizada e governo”, declarou Ventura. Além disso, propuseram a criação de um ente público que fique responsável pela aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), pavimentando o caminho para o fim do vestibular.


A reunião contou com a participação do secretário geral da Presidência da República, Luiz Dulci; do ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, e assessores.

Da Redação, com informações da Agência Brasil e Blog do Planalto.



Imagens: Domingos Tadeu/PR