28 de out de 2009

Estudantes da Escola Estadual São Paulo têm que pagar para estudar


 

"Estava na secretaria, conversando com a vice-diretora, quando uma outra funcionária disse: "ela está com uniforme pirata" e acabei levando uma advertência". Quem faz o relato é Camila Carolina Bonfim, presidente do grêmio da escola. A EE São Paulo é uma escola pública tida como referência na rede paulista. Detalhe: a escola cobra R$ 20 pela camiseta e R$ 50 pela calça e a utilização desse uniforme é obrigatória para o aluno freqüentar as aulas.

Além de cobrar pelo uniforme obrigatório a escola ainda cobra R$ 2,00 por prova aplicada aos alunos. O aluno que não paga tem seu numero de matricula escrito na lousa e é obrigado a copiar a prova que tem em média 20 páginas, com papel e caneta trazidos de casa.

Por óbvio, as práticas são contra a lei, já que trata-se de colégio da rede pública e gratuita, custeada pelos impostos pagos pela população.


Além de ilegal, as cobranças trazem constrangimentos aos alunos. "Se quer uniforme barato, que vá estudar perto da sua casa", foi a resposta ouvida por Camila ao justificar que confeccionou a peça por conta própria por ser mais barata que as "oficiais".


Para Arthur Herculano, presidente da União Paulista dos Estudantes Secundaristas (UPES), "a medida é um absurdo contra os estudantes e que mostra o total descontrole da secretaria de educação com as escolas da rede pública estadual".


"Mais uma vez o estado de São Paulo protagoniza um vexame nacional. A dupla José Serra/Paulo Renato estão arruinando o ensino público estadual", completa Arthur. É o jeito tucano de governar que não para de surpreender - ou melhor, de escandalizar -, principalmente na área educacional.

UEE

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. O uniforme criado para 'uniformizar' alunos agora é instrumento de exclusão social.

    A escola pública criada para incluir os alunos, exclui se não por outro motivo além da condição social.

    Alunos que já foram excluidos do ensino particular, são denovo excluidos no ensino dos excluidos.

    A escola publica aceita?
    Dentro das vagas, sim aceita a todos.

    Qualquer aluno, ela não exclui o aluno problematico
    Mas exclui o sem dinheiro?

    Qual a ponte? Será que os alunos sem dinheiro tendem a causar mais problemas dentro na escola?

    preconceito, sim...

    Além disso uma tendencia, a diretora usa o artifcio do uniforme caro para selecionar os alunos porque os alunos com menos dinheiro tendem a causar mais na escola... isso acontece porque?

    porque eles foram excuidos? Porque são pobres?
    porque a escola falhou na formação?
    os pais?
    ou porque a diretora é além de preconceituosa é preguiçosa e imediatista?

    ResponderExcluir